Poesia do Olhar

Poesia do Olhar

Tuesday, April 25, 2017

Adão e Eva/Chopin

Sunday, April 9, 2017

Afrodite/Albinoni




copyright
*****

Se sentes o meu silêncio
Não o feches na tua emoção
Deixa-o estrelar ardente dentro de mim.
*
Se escutas o meu silêncio
Não o gastes na tua dúvida
Deixa-o germinar leve dentro de ti.
*
Se ecoas o meu silêncio
Não o esgotes na tua canção
Deixa-o dançar profundo dentro de mim.
*
Mas se amas o meu silêncio
E o trazes no fundo de ti...
*
Não o deixes ficar só em mim
Nem o percas na obscuridade
Porque é para ti que ele sorri!...

Véu de Maya

Tuesday, February 21, 2017

Este Sonho Viginal/ Adagio de Albinoni


copyright

*****
Neste espelho vital que entre versos entrelaço,
Convoco as estrelas longínquas
Para um abraço virginal.
*
Que é só com luz e paixão
Que se vence a fraqueza e o cansaço
E a vida no seu todo clama
Por desafios e triunfos, mas colo e regaço.
*
Neste canto solitário, mas imenso e feliz,
Onde subo às estrelas-
Essas companheiras predilectas do céu-
*
São elas quem mo diz: és um poeta da vida,
Desde os sonhos até à raiz,
Tão genuíno que nenhum dos teus versos,
Nisso, te deixaria sem matriz.
*
Mas, se sobes tão profundo,
Deve também o poema descer
Ao coração do Mundo:
Dores, euforias, guerras e prantos.
*
E ao coração da Vida-
Desertos e vazios, desafios e encantos.
*
Que a todos entrelaço, neste poema de estrelas,
Que é de amor e riso a celebrar tanta vida
Perdida e desprendida por cantos e recantos.
*
E fico assim-em suspenso-
Neste barco solitário mas sublime,
Onde as estrelas-essas predilectas ninfas do céu-
Me vêm entrelaçar...
*
Até que rasgos mais eficazes
Que não tão frágeis e efémeros como o poema,
Venham transitar nesta paixão vital.
*
E trazer à Vida e ao Universo, este abraço virginal
Que é tão urgente e universal?...

Véu de Maya

Friday, October 21, 2016

Véu de Maya_Na minha barca/ Chopin



copyright
*****
Sou a vida que brinca
no efémero que passa,
E a nostalgia que fica
na saudade que grassa;
*
Sou o sonho que acorda,
quando o real amanhece.
E a paixão que transborda,
quando a vida acontece;
*
Sou a noite que escuta,
quando o silêncio floresce.
E o rio que se aprofunda,
quando o caudal endoidece;
*
Sou a aventura que estica,
quando o instante brinca.
E a alegria que dói,
quando a dor constrói;
*
Sou um pássaro que voa
e até a nuvem que destoa,
Mas no que vivo, sou-fogo
E em tudo, nunca ardo à toa.

Véu de Maya

Sunday, September 4, 2016

Floresta Virgem/Poesia de Véu de Maya.


*****
É o fio de luz sobre a névoa
Onde a vida abre clareiras
Até o fogo voltar às lareiras;
*
É a vida em rodopio trágico
Onde tudo traz a alegria e a dor
Até chegar ao inevitável naufrágio;
*
É o mar e a ousadia dos navios
Na aventura de portos e amores
Até sonhar a liberdade em desafios;
*
É o destino do Universo
Na senda da força e da leveza
Que aflora em cada verso;
*
É a fonte do indizível
Clara mas cifrada nos altares
Dos arautos do intransponível;
*
É o voo sobre os cumes
Que paira sobre oblíquos espelhos
Em lances de enigmas vermelhos;
*
É a calma sobre os vales
A seguir aos trágicos olhares
Plantada em férteis pomares;
*
É arco, flecha e visão,
Instante cruel e aspiração...
Fio de luz no punhal da vertigem,
*
Olhar que tudo devolve à origem...
Lupa que desvenda fendas
E o destino que borda as rendas...
*
Até que no caos que tudo enlaça
Se toque à profunda inocência
Na obscuridade do tempo que passa!...


Véu de Maya

Thursday, June 9, 2016

Vibrações na noite/ Chopin


*****
Três poemas-vibrações-em torno da mística da noite e dos seus mistérios-estão escritos- dentro do vídeo-onde podem ser lidos comodamente. Um interessante relax através da sintonia entre poesia música e pintura... Não se esqueça de abrir o vídeo em full screen...Enjoy the moment, because it`s graceful so much.

Véu de Maya

Monday, April 11, 2016

Nas dobras da tua saia/Albinoni



*****
Para ler o poema, enquanto escuta a recitação do poeta-é só passar ao YouTube. Obrigado/Thanks

Véu de Maya





Friday, March 4, 2016

Ilusão Sagrada/Mozart


copyright
*****
Dá-me o que é breve-mas intenso.
Porque só aí é que vida dança à sorte
E o tempo é um carrossel imenso.
*
Dá-me o que é lento-mas imenso.
Porque só aí é que o silêncio sopra forte
E a vida é fogo preso em altar suspenso.
*
Dá-me o que é trágico-mas sublime.
Porque só aí é o que o raio espreita livre
Mas a flecha o atravessa firme.
*
Dá-me o que é estrelar e absoluto.
Seja ele breve e intenso ou lento e imenso,
Porque é aí que a vida é risco em tudo,
Mas o amor é jogo puro e riso intenso!...

Véu de Maya

Tuesday, February 2, 2016

Arco de luz/ Beethoven


copyright
*****
É a manhã e a alvorada
Que arrancam o ser à inércia
Até nascer nele uma nova morada;
*
A noite e as portas do labirinto
Que rasgam clareiras ao caos
Até brilhar nele o infinito;
*
O meio-dia e o zénite solar
Que derramam energia sobre as taças
Dos amantes da vida e do criar;
*
A meia-noite e os pressentimentos
Que festejam a vida aos sons da guitarra
Até tudo se afinar em explosão de sentimentos;
*
A chaga infeliz e os desmazelos
Em que a vida a e a cultura se afundam
Até o homem quebrar os medos;
*
A festa e a nascente primordial
Onde tudo se canta na música da vida
Como num barco ondulante em alto mar;
*
O instante e a luz do pensamento
Onde o ser celebra sem arrependimento
O nascer e o morrer do próprio tempo;
*
É expansão e Universo, verso e reverso,
O ser escrito no perfume de um só verso...
O símbolo da vida abundante
Mesmo a perdida e a errante;
*
Os amantes do ser e do pensar
Orgulhosos de ser um para o outro
Toda a alegria da incerteza...
No jogo do seu próprio caminhar!...

Véu de Maya

Saturday, December 12, 2015

Soneto à orgia do tempo/Bach



copyight
*****
Hei-de ser mar e terra e fogo e ar...
Quando, por fim, na roda que a tudo sela,
Secarem as flores da vida ao trémulo da vela,
Em vestes que só o tempo levará a pratear;
*
E de sublimes versos, saírem cristais,
Como fluem das marés, algas e sais...
E de loucas paixões, volúpia e flores,
Em poções felinas, na altivez dos amores;
*
E das fundas dores cravadas no Mundo?
Chegarem gritos urgentes, de enlace profundo,
Ao luar da alegria, onde ela nunca vibrou...
*
Até que tudo, por fim, na orgia do tempo,
Tal como a vida ao arder em caos imenso,
Volte a ser no destino o anel onde brilhou!...

Véu de Maya

Saturday, November 14, 2015

Tocata estrelar/Chopin


copyright
*****
Entre a saudade que é o fado da vida
E o amor que é barco em mar profundo
Circula o ódio vão que ao amor desgraça
E a estupidez crassa que ao mundo desbarata!
*
Entre a fortaleza do amor
Em rotas firmes de conquista e dor
E o ódio vão que se trivializa louco
Por achar tão pouco o mal que sempre faz...
*
Brilham as estrelas que à noite escura iluminam
E os sonhos que à vida,sob cores exóticas,suavizam!
*
Mas dói tanto esta vertigem profunda
Que por ser tão triste só o Sol a ilumina!
Tal como ao ódio gratuito só o combate duro
E à dor profunda esta tocata que a sublima!...

Véu de Maya

Friday, October 16, 2015

Ah, coração de poeta!/Chopin



copyright
*****
Ah, coração de poeta! como podes tu florir?
Entre os oásis da terra e os enigmas do céu...
Sem te entranhares nos labirintos da vida
E os espelhares puros nas vozes do teu véu.
*
Ah, poeta! e quantos vapores de snobismo?
A vaguear na terra por entre brumas e esperanças
E no céu por entre mistérios e fragrâncias.
*
Rega-me antes com as cores da vida
Desde os tons da violeta até aos da orquídea vermelha,
Pois é nesses cheiros que se distinguem os amores genuínos
E transitam os barcos no mar em seus altivos desafios.
*
Ah, coração puro! mas que alquimia de cores!
Pintada em espelhos de risos e silêncios e sentidos,
Tal como nos transes das paixões altivas
Ardem menos os vapores do que os amores.
*
Ah, poeta! erro a vibrar nestes teu versos,
Em que todo o coração puro se quer fundir,
Até, no Universo, por paixão, a outros fazer florir!...

Véu de Maya

Ah, vida!-Nos teus véus efémeros/Chopin


copyright
*****
Ah, poeta! quantos olhares e espelhos avistas tu?
Que nuns, entreabres pomares altivos de colheita plena,
Mas noutros, rasgas desertos sombrios e destilas-me nua,
Como a angústia da insónia que se enrola à noite inteira!

Ah vida! E em que alambiques te poderia decantar?
Se é nos teus eternos opostos que te sinto a florir e murchar,
Por vagas de dor e euforias, sob um mar de alquimias incertas,
Tal como, por entre as estrelas, erram constelações secretas!

Ah, poeta!, mas se sou véus-em desafios e sonhos, 
Que é, como nos teus versos, inocente, me arriscas!
Por que é que te jogas ainda, no desenho dos meus rostos,
Sem te cansares de olhar do deserto até aos pomares que avistas?

Ah, vida!, Mas se é nesses contra-partos eternos,
Onde te exploro pura, como silêncio de estrelas em poesia,
Que tu és arco e flecha de cumes e vazios tão secretos!

Qual é o poeta que não ousaria acolher-te no teu fogo?
Como ao mar alto, os navios, na sua intrepidez vadia!...

Véu de Maya

*-for others languages, please,  the Google Translator.Thank You, very much.

Saturday, October 10, 2015

Nostalgia do Outono/Chopin


copyright
****
Este poema acerca da nostalgia do Outono, depois de declamado pelo poeta, está gravado- copyright- dentro do vídeo, através de uma imagem delicada e ilustrativa desta estação do ano e floreado por telas célebres da pintura Mundial sob a sonoridade estrelar de Chopin...Desfrute da fusão deliciosa entre poesia, música e pintura, por ser um elevado exercício de exaltação para o espírito e de estética relaxante para a harmonia dos sentidos...
Enjoy the harmony: poetry, music and picture, because it`s a very amazing relax. Many thanks.

Yet the poem in portuguese language, for google translator if you want...

*****
Roda, roda, ó folha de Outono,
Que secaste sem saber...
Mas eu que te toco tão leve
Em que chá te poderia beber!
*
Canto ao vento que te leva
E ao toque que já não podes florir
E ao ver-te rodar assim serena
Como poderia não te esculpir!
*
Sigo ao teu lado pertinho
E ao vaguear no teu caminho
Sorrio-me a passear sozinho
E a sentir-te como idílio já esbecido...
*
Mas ao Baco que à vida sorri
E neste louco altar floresce...
Sob os véus do que festejo em ti
Venho dançar, ó folha de Outono,
*
Pois não quero estiolar como tu
Sem me embriagar neste poema
À nostalgia do que sinto por ti...
*
E ao vento que até na morte se ri
Que sopre até valer a pena...
Na roda em que tudo na vida flori!...

Véu de Maya

Wednesday, September 23, 2015

Oh, vida peregrina/Morricone


copyright
  *****
Por que me seduzes, ó vida peregrina,
Com véus de feiticeira atrevida?
Se, quando te quero amar de verdade, 
Tu me atiras com volúpias mais de mentira!
*
Mas que retórica tola!-retratas-me tu-
Ao desvelar-me com o teu espanto...
No sorriso encantador de seduzir!
*
Como poderias-tão depressa assim-possuir-me?
Se eu sou a orgia pura no azar de quem arrisca.
*
E ao embalar-te com ilusões de verdade,
Sou a mais bela e arrojada peregrina
Nos lances sedutores da máscara e da mentira.
Ah, vida exuberante!- Aí? despertas-me de mim,
Ao banhar-me no teu caudal esfuseante
E girar pelos teus labirintos de dor e euforia
`*
Ate ser em ti-puramente-só laços ardentes do coração,
E tu em mim, ilusões fortes e pomares de flores...
Ó vida pura, ó mais bela impostora, sem pudores,
Como és tão verdadeira, até nas ilusões e nos amores!...

Véu de Maya

Sunday, July 26, 2015

arco e flecha/Chopin


*****
Para ter a percepção do vídeo em full screen e ainda ler o poema aqui declamado pelo poeta, queira ter a curiosidade de passar ao YouTube. Obrigado pelo carinho da presença. Deixo o meu abraço com estima e consideração.

Véu de Maya


Saturday, July 18, 2015

Na embriaguês dos teus laços/Mozart


****ª
Para ter a percepção do vídeo em full screen e ler o poema declamado pelo poeta- queira transitar ao Youtube. Obrigado pelo carinho da presença.

Véu de Maya




Wednesday, June 24, 2015

ilusão sagrada/Mozart


*****
Queira ter a curiosidade de passar ao YouTube para ter a percepção em full screen e ler o poema aqui declamado pelo poeta...Obrigado pela presença. O meu abraço, com afecto.

Véu de Maya

Saturday, June 13, 2015

Flauta de Pã II/ Chopin


*****

Para ter a percepção do vídeo em full screen e poder ler o poema declamado pelo poeta, queira ter a gentileza de passar ao Youtube. Obrigado pelo carinho da presença.

Véu de Maya

Saturday, May 30, 2015

Na raiz das coisas/ Chopin


*****
Para ter a percepção do vídeo em full screen e ler o poema existencial aqui declamado pelo poeta, queira passar ao YouTube. Obrigado pelo carinho da presença.

Véu de Maya